Home Segurança por reflexão Segurança por reflexão

PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Pelo Sr. Matti Koivurova, engenheiro de segurança de tráfego e perito mundial sobre reflectores para peões, de LIIKENNETURVA – Organização Central de Segurança do Tráfego na Finlândia.

reflectores para peoesHá tendência para acidentes nas horas nocturnas no tráfego de peões e ciclistas. Mais de metade das mortes de peões e quase 50% dos ferimentos ocorrem anualmente durante as horas nocturnas ou ao lusco-fusco. E uma em cada cinco mortes de ciclistas também ocorrem à noite ou ao lusco-fusco.
O risco de acidente para peões urbanos e ciclistas é pelo menos 2-3 vezes maior à noite do que durante o dia. Fora das localidades, o risco de morte é multiplicado durante a noite em comparação com as horas diurnas. Tornarmo-nos visíveis com a utilização de reflectores pode diminuir estes riscos.

Condições de viação à noite

Mesmo com os faróis no máximo estes produzem relativamente pouca visibilidade dianteira. O leque de luzes médias é especialmente curto. Luzes médias simétricas atingem apenas os 50 metros enquanto que o limite das luzes assimétricas vai um pouco mais longe.

Se a superfície do vidro do farol está suja ou riscada, ou se há humidade no interior do farol o alcance é ainda menor. Falhas nos ajustamentos ou perda de voltagem nos aparelhos eléctricos poderão ainda diminuir mais o alcance.

Um peão ou ciclista que poderá ser visto a 50 metros apresenta-se como uma imagem visual pequena e por esta simples razão torna-se difícil de ser visto. O tempo disponível de reacção é também bastante curto.

Roupa com reflectores ou reflectores melhoram a visibilidade ao aumentarem o contraste.
A iluminação nas vias melhora a visibilidade principalmente pela criação de silhuetas. A melhor iluminação nas estradas também tem o mesmo efeito, fazendo com que a pessoa seja vista no contraste.

Visibilidade em vias sem iluminação

A visibilidade numa estrada não iluminada depende prioritariamente do grau de reflexibilidade da pessoa contra o plano de fundo, a direcção e alcance dos faróis dos veículos, as condições do tempo e a visão do condutor.

Um condutor com os faróis no seu máximo verá uma pessoa na estrada entre 200-600 metros de distância, dependendo da roupa, e avistará um reflector a 700 metros de distância. O farol em máximos de uma viatura que se aproxima cortará a visibilidade de um peão ou ciclista em 75 metros.

Com os faróis em médios um peão poderá ser avistado a 40-50 metros enquanto que, com um reflector, a distância aumenta para 100-200 metros. Esta investigação suíça sobre a visibilidade dos peões à noite foi conduzida em condições ideais, com veículos em boas condições, com faróis no seu potencial máximo e com pessoas com boa visão (1).

Um pára-brisas muito riscado diminui a distância de visibilidade em 15 por cento, enquanto que a fraca visão num factor de apenas 0.5 diminui a visibilidade em 15-20%; quando combina dos, estes dois factores reduzem a distância de visibilidade em cerca de 25% ou cerca de 20 metros (2). Riscos nos pára-brisas podem ser minorados com entalhes de segurança que previnem a sujidade de se colar aos limpa pára-brisas. Investigação suíça (3) indica que nove em cada dez condutores consideram os entalhes de segurança um bom sistema e mais de metade dizem que são muito bons a melhorar a visibilidade.

Para os peões o problema da visibilidade é diferente. Poderá haver luz suficiente pelo que poderão imaginar que os condutores os vêem facilmente. Na realidade, os peões confundem-se com o plano de fundo a não ser que utilizem algo claro ou luminoso para se destacarem. Também se recomenda que se caminhe do lado inverso ao sentido do tráfego uma vez que a face é mais visível do que roupas escuras. Mas a melhor forma de ser visto no escuro é usando reflectores.

Visibilidade numa estrada iluminada

Iluminação adequada numa estrada produz uma boa e constante intensidade luminosa sem encandeamento que torna o peão fácil de ser visto. Mas nem toda a iluminação de estrada é bem feita e onde, esta não existe, não há contraste suficiente entre o peão e o plano de fundo. O peão tem então de usar uma peça de material reflector.

A iluminação pode ser suficiente em áreas urbanas devido às luzes néon e iluminação das lojas, especialmente no centro das cidades. No entanto, pode haver vários graus de iluminação, mesmo em curtas distâncias. Poderá ser especialmente difícil ver uma pessoa que, por exemplo esteja a atravessar uma rua, sendo portanto uma boa ideia a utilização de um reflector. Estes não fazem qualquer dano mesmo em zonas bem iluminadas! 

O potencial de visão do condutor

Os faróis de um veículo em aproximação muitas vezes tornam mais difícil visualizar um peão. Riscos e sujidade no pára-brisas aumentam o encadeamento. A capacidade para ver em tempo suficiente é também afectada pela distância o carro seguinte. Quando conduzindo em condições de tráfego intenso é mais difícil para o condutor que vai atrás ver o peão se estiver muito perto do carro da frente.

A idade enfraquece a visão nocturna dos condutores uma vez que a necessidade de luz aumenta e o efeito de encadeamento aumenta. Faróis apontados muito alto cegam o condutor em sentido contrário e podem diminuir a visibilidade até aos 20%. Por outro lado, faróis apontando muito baixo diminuem o campo de visão do condutor.

Sujidade nos faróis diminui a sua capacidade de iluminação. Em algumas condições de estrada os faróis sujam-se em curtas distâncias. Num teste, a condução em condições de neve com sal diminuíram a capacidade de iluminação dos faróis em 60% numa distância de 200 metros, diminuindo a visibilidade entre 15-20%.

Em más condições atmosféricas, um condutor verá um peão na estrada apenas entre 15-20 metros de distância. Assim não há no geral tempo para começar a travagem ou dar passagem ao peão ou ciclista se estes se encontrarem no trajecto da viatura.

O potencial do condutor para dar passagem ou parar

Uma berma de estrada suficientemente larga simplifica a passagem do condutor ao lado do peão ou ciclista. A ausência de bermas aumenta a probabilidade do peão ou ciclista se encontrar no trajecto da viatura, o que acontece sempre que atravessarema estrada.

A resposta primária e mais comum do condutor ao avistar um indivíduo é tentar evitar uma colisão desviando-se lateralmente. No entanto, à noite, o condutor também deverá desacelerar e preparar-se para travar.

O tempo de reacção de um condutor após avistar um objecto é de 1-2 segundos. Por exemplo, uma viatura viajando a 80 km/h avança 22 metros num segundo e 44 metros em dois segundos. A última e mais plausível distância de 44 metros é – mesmo em condições ideais – para um condutor em faróis médios insuficiente para poder desviar-se de alguém sem reflector.

Quando é impossível desviar-se lateralmente, como por exemplo com tráfego na direcção oposta, travar poderá considerar-se a base para evitar uma colisão. Os condutores deverão travar lentamente quando vêem alguém a atravessar a estrada porque essa pessoa pode mudar de direcção repentinamente.

Conduzindo a 80 km/h, somando a distância de reacção de  44 metros, o condutor deverá preparar-se para uma distância de travagem de 35 metros, isto em boas condições atmosféricas e com o asfalto seco.

A distância de travagem duplica em asfalto molhado e aumenta até um factor de quatro em gelo molhado. Poder desacelerar a tempo torna mais fácil o controlo da situação.

Usar reflectores para evitar acidentes
 
O uso de reflectorreflectores para peoeses tem sido recomendado desde os anos 60, quando os peões acidentados foram cerca de 300 e ciclistas acidentados eram cerca de 130, ano após ano, na Finlândia. No ano 2002 houve 40 peões e 53 ciclistas mortos nas estradas finlandesas. Nas localidades, um em cada três peões usa reflectores e fora das localidades dois terços dos peões ou ciclistas usa reflector.

Investigação sobre fatalidades com peões entre 1986-90 demonstrou que para 83 das vítimas estava escuro ou lusco-fusco e que 20% destas teriam sobrevivido caso usassem um reflector (4).

Dos 63 peões mortos à noite nas estradas, entre 1998-2002, 57% poderiam ter sobrevivido fora das localidades e 45% nas localidades, caso usassem um reflector de segurança ou material reflector (5).

De acordo com estimativas norueguesas, aumentar a utilização de reflectores de 30 para 70%, diminuiria os acidentes com peões em quase 15%. A utilização de reflectores também melhoraria significativamente a segurança dos ciclistas. O uso de reflectores diminui o risco de ser atropelado pela retaguarda em 85% (6).

O efeito do reflector na visibilidade

 Os requisitos mínimos para um reflector eficaz são aqueles em que um indivíduo a caminhar numa estrada possa ser visto a pelo menos 140 metros em condições óptimas, com viaturas a passar com os faróis em médios.

Este requisito de visibilidade do reflector é no geral adequado para o condutor poder dar passagem aos peões e ciclistas na estrada. Quando a condução é efectuada em tráfego intenso, a distância mínima ao carro da frente terá de ser, no mínimo, de 3 segundos de modo a permitir a visualização do reflector (7).

As melhores zonas para colocação de um reflector no vestuário são, as terminações das mangas, a cintura ou perto dos joelhos.

Investigação americana indica que os reflectores colocados nos membros são visíveis a uma distância significativamente superior (60–80%) do que aqueles colocados em outras partes do corpo (8).

Regulamentos sobre a utilização de reflectores

A Lei de Tráfego Rodoviário Finlandesa indicava, a partir de 1.4.1982, que um peão que nas horas nocturnas caminhasse fora do passeio ou pista de ciclistas, geralmente necessitava de usar um reflector apropriado. A partir de 1.1.2003 os peões têm de usar reflectores ao caminhar à noite na estrada. 

Diferentes tipos de reflectores e a sua colocação

Um retro-reflector refracte a luz que recebe. Os reflectores têm duas categorias em que o sistema é de prisma ou de bola de vidro. “Reflectores pessoais” podem dividir-se naqueles que se colocam permanentemente ou temporariamente.

Um reflector permanente, no geral, é colado ou cosido à roupa pelo fabricante. Recomenda-se que o material reflector aprovado seja no mínimo da dimensão especificada nos dados de aprovação e que seja colocada de forma a que o utilizador seja visto de várias direcções.

Reflectores removíveis colocam-se na roupa através de um mecanismo de utilização fácil que ajuda a melhorar a visibilidade do peão a partir de várias direcções.

Melhorar a visibilidade ao lusco-fusco e durante o dia

A visibilidade de uma pessoa pode ser melhorada com a utilização de materiais fluorescentes que transmitem radiação de comprimento de onda mais longa do que recebem.
Materiais reflectores “brilham” em resultado da luz ultravioleta do sol, acrescentando visibilidade durante o dia mesmo em condições de nebulosidade mas não após o pôr-do-sol. As cores de maior visibilidade nos materiais fluorescentes são o amarelo esverdeado, o verde amarelado e o amarelo.

Normas europeias para reflectores de peões e roupa de “alta visibilidade”

Relativamente à directiva comunitária CEN (European Committee for Standardisation – Comissão Europeia para a Estandardização) sobre protecção pessoal foi emitida uma proposta para um reflector de peões europeu (EN 13356) que corresponde maioritariamente aos padrões nórdicos correntes.

Estes padrões foram elaborados com base na directiva-ppe para roupa de “alta visibilidade” para profissionais (EN 471) e peões (EN 1150).
Para os peões os requisitos são de que a roupa tenha 0.14-0.40 m2 de material fluorescente e 0.06-0.10 m2 de material reflector.

O material fluorescente forma a parte principal de, por exemplo, uma camisola ou blusa e o material reflector necessita ser colocado regularmente distribuído como uma faixa larga em redor do corpo. É óbvio que menores áreas de material serão utilizadas em roupa para crianças e as maiores em roupa de adultos. Por exemplo, numa blusa duma criança, terá de haver pelo menos 2 m de 3cm de faixa larga ou 1,2 m de 5 cm de faixa larga de material reflector. Nos tamanhos maiores terá de haver pelo menos 2 m de 5 cm de faixa reflectora larga.

Sumário e instruções

Acções dos condutores que melhoram a segurança no escuro

Os faróis dos veículos, os limpa pára-brisas, travões e pneus têm de estar em bom estado.
A velocidade tem de ser menor em condições de má visibilidade. Faróis em máximos deverão ser usados sempre que possível e somente mudados para médios quando outra viatura for avistada e nessa altura o condutor deverá desacelerar. Quando uma estrada não tem bermas, o condutor deverá evitar conduzir na orla da estrada devido ao risco de atropelamento de um peão.

É recomendável manter uma distância de 4 segundos ao carro da frente em condições de tráfego intenso.

Além de dar passagem, o condutor deverá também estar preparado para travar sem bloquear as rodas.

O condutor deverá utilizar sinais sonoros e luminosos para avisar alguém na estrada.

Qualquer condutor que utilize os faróis médios deverá aplicar os máximos de vez em quando e momentaneamente para ver a uma maior distância.

reflectores para peoesAcções dos peões que aumentam
a sua segurança
Os peões não devem caminhar ao lusco-fusco ou no escuro sem reflectores eficazes.

Atenção especial é necessária ao atravessar uma estrada.

Recomenda-se que os peões utilizem o lado oposto ao sentido do tráfego.

Acções dos ciclistas para aumentar
a sua segurança
seguranca para bicicletas

A bicicleta deverá estar equipada com reflectores dianteiros, traseiros e laterais, de largo espectro e eficazes.

Uma bandeira de segurança reflectora dá ao ciclista mais espaço quando um carro passa. A bicicleta deverá estar equipada com luz dianteira. Uma luz traseira é altamente recomendável. Um carro que se aproxima pela retaguarda é muitas vezes inaudível mas poderá ser visualizado através dum espelho retrovisor.

O ciclista deverá circular do lado do sentido do tráfego.

Não inicie a travessia duma estrada sem se certificar de que o pode
fazer em segurança.

 

A informação anterior foi fornecida pelo Sr. Matti Koivurova, engenheiro de segurança no tráfego – equipamentos para veículos e segurança na empresa LIIKENNETURVA – Organização Central de Segurança do Tráfego na Finlândia.

Texto original de Sr. Matti Koivurova, traduzido para o inglês por Kim pasanen.
Versão portuguesa traduzida da versão inglesa por SegurançAgora.com™

Referências:
1. Rumar K: Distâncias de visibilidade com faróis de halogéneo e convencionais, Scandinavian journal of psychology, 1974 (Suécia).
2. Lundkvist S-O, Helmers G: Redução da distância de avistamento com fraca visibilidade ou pára-brisas em más condições, VTI 382, Swedish National Road and Transport Research Institute, 1993 (Suécia).  
3. Jingryd K: O efeito da estria de segurança no pára-brisas para indicação de sujidade e desgaste, VTI 19, Swedish National Road and Transport Research Institute, 1995 (Suécia).
4. Karttunen R: Acidentes graves em (condições de) tráfego reduzido, The Faculty of Social Sciences, Valt 1991 (Finlândia).
5. Holopainen A: Ciclistas e peões em acidentes mortais de viação, The Faculty of Social Sciences, Valt 2004 (Finlândia).
6. Elvik R: O impacto/efeito do uso de reflectores no número de acidentes com peões no escuro. The Institute of Transport Economics -TØI, 1996 (Noruega).
7. Summala H: Latências na condução de veículos: experiências sobre o comportamento de condutores na estrada, General psychology monographs B2/81, University of Helsinki 1981(Finlândia).

 

Produtos Mais Recentes

Aviso de Segurança

? Chamamos a atenção de que alguns reflectores podem parecer iguais mas não cumprem os requisitos de reflexibilidade dando uma falsa sensação de segurança a quem os utiliza.

vsign-ce-small

Login






Carrinho de compras

VirtueMart
O seu carrinho de compras encontra-se vazio de momento.

payment_banner12_engpt